Espiritualidade

SOB PRESSÃO, 2

Stress conceptPor Israel Belo de Azevedo

“A maior descoberta da minha geração é que os seres humanos podem alterar as suas vidas modificando as suas atitudes mentais”. (William James)

Devemos sempre ter em mente que o nosso ritmo de vida não nos pode provocar danos, porque alguns são irreversíveis.
Nosso ritmo não tem que ser o que nos impõem. Nosso ritmo não precisa ser o que nós mesmos nos impomos, além de nossa capacidade.
Temos que nos perguntar se o ritmo em que seguimos é mesmo necessário. Talvez seja. Se for, temos que equilibrar trabalho e descanso, preocupação e tranquilidade, atividade e inatividade, como aprendemos com o mandamento de cultivar um dia sabático (Êxodo 20.8). Se não for, devemos mudar o ritmo, nem que implique termos que alterar as metas.
Muitas vezes, para viver temos que morrer. Tem que morrer em nós o que nos mata. Precisamos da coragem de desistir, quando desistir é viver, de verdade; da ousadia de perder, quando perder for ganhar realmente; da humildade de diminuir, quando diminuir nos fizer crescer, sem prejuízos.
Se for necessário exigir mais de nós mesmos, exijamos. Talvez possamos fazer mais.
O que não podemos, por uma questão de sanidade, é forçar os nossos músculos até à ruptura ou a nossa mente até à exaustão.
Esses cuidados para nós mesmos devem alcançar os que convivem conosco. Não podemos exigir dos outros o que descobrimos que para nós não serve.

Bom dia!!!!

Categorias:Espiritualidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s